Enem Digital – Como irá funcionar, Novidades





O Enem Digital é um projeto-piloto e será aplicado em uma prova digital neste ano para 50 mil pessoas nos dias 11 e 18 de outubro.

Uma grande novidade foi anunciada pelo Ministério da Educação, o MEC, na última quarta-feira, dia 3 de julho. Trata-se de um projeto-piloto para o Exame Nacional do Ensino Médio, o Enem, que na edição de 2020 terá como opção para os estudantes a realização pelo modelo de prova digital. O aluno deverá escolher a sua modalidade no ato da inscrição, podendo optar ainda pelo modo tradicional de exame escrito.

A expectativa do Ministério é de que, aproximadamente, 50 mil pessoas participem, sendo a prova aplicada em 15 capitais brasileiras.




A ideia é de que o exame se encaminhe para a abolição da versão de papel até o ano de 2026. Enquanto isso não ocorre, sabe-se que a implantação desse Enem Digital ocorrerá de forma opcional e progressiva para todos os estudantes. Vale lembrar que para o ano de 2019 nada irá mudar para os que já estiverem inscritos.

Projeto-Piloto encarecido

Para o presidente do Instituto Nacional de Estudos e de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, o Inep, órgão que é responsável pela elaboração do exame, a empresa que será contratada e tiver a responsabilidade de realizar o exame no próximo ano deverá se preocupar com toda a infraestrutura para a sua realização. Nesse sentido, podem-se incluir como encargos os fiscais de sala, os locais para a realização das provas e os computadores que serão utilizados. Quanto a esse último, é importante ressaltar que o MEC não irá comprar nenhuma máquina para a realização das provas. Por isso, a estimativa é de que o projeto-piloto custe em torno de R$ 20 milhões para os cofres.


Objetivo do Enem Digital

Entre os objetivos citados para a mudança do papel para o Enem Digital está a complexidade de logística em termos da aplicação das provas no modelo tradicional, bem como a economia maior com a impressão de vias. Levando isso em conta, um dado sobre a prova de 2019 dá conta de que serão impressas na edição mais de 10,2 milhões de provas. Em termos de custos, os números dados ultrapassam os R$ 500 milhões. A estimativa é de que participem 5 milhões de pessoas.

A realização digital da prova também viabilizará a utilização de infográficos, vídeos e a lógica de games nas questões. Sendo assim, também será possível que se aplique o exame em alguns municípios que, até agora, não têm a estrutura necessária para a sua realização.

Enem Digital em 2020: como será?

No ano de 2020, com a implantação do Enem Digital, a aplicação do exame acontecerá em um total de dois domingos, sendo previstas as datas de 11 e 18 de outubro. É importante ressaltar que, para quem optar pela prova no papel, as questões serão diferenciadas daquelas da versão eletrônica. A aplicação dessa será em 1º e 8 de novembro.

São esperadas 50 mil pessoas na edição do próximo ano, sendo os exames aplicados em: São Paulo, capital; Salvador, na Bahia; Rio de Janeiro, capital; Recife, em Pernambuco; Porto Alegre, no Rio Grande do Sul; Manaus, em Amazonas; João Pessoa, na Paraíba; Goiânia, em Goiás; Florianópolis, em Santa Catarina; Curitiba, no Paraná; Cuiabá, no Mato Grosso; Brasília, no Distrito Federal; Belo Horizonte, em Minas Gerais; e em Belém, no Pará.

Uma ideia que será trabalhada levando em conta o Enem Digital é de que a prova será aplicada em diversas datas ao longo do ano nas próximas edições. O que se espera é de que, até 2026, o exame seja realizado unicamente na versão digital, com aplicações regulares. Verdade ou não, diante das vantagens apresentadas pelo MEC, ainda é necessário verificar se a ideia irá realmente vingar. Por isso, o número de aplicações do modelo irá aumentando progressivamente, sendo realizadas duas edições em 2021 e de quatro provas ao longo do ano entre 2022 a 2025, sempre no formato opcional.

Por Kellen Kunz

Enem Digital

Compartilhar:


Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *